crédito: Ivânia Trento / Flickr

Créditos: crédito: Ivânia Trento / Flickr

Igualdade de gênero.

A Câmara Municipal de São Paulo retirou do projeto que trata do Plano Municipal de Educação todas as referências a questões de gênero.

Apesar de não ter sido aprovado no Plano Nacional de Educação (PNE) e no Plano Municipal de Educação de São Paulo, as temáticas relacionadas à igualdade de gênero podem estar presentes nos Planos Estaduais e Municipais de Educação como forma de aprimorar a qualidade da educação, superar as desigualdades e combater a exclusão escolar.

Para reforçar a importância da abordagem deste tema, a iniciativa De Olho nos Planos, projeto que incentiva a participação de todos na construção de Planos convida lançou a campanha: "Planos de Educação: Igualdade de gênero SIM! Discriminação NÃO!". Baixe aqui as imagens para compartilhar nas redes.

Em entrevista ao Centro de referencias em Educação Integral, Denise Motta Dau, secretária municipal de Políticas para as Mulheres, em São Paulo, lamentou a decisão. “Nos preocupa essa visão de que defender o direito das mulheres é um ataque às famílias”, pontua. A secretária acredita que a escola é um espaço privilegiado para educar as crianças a respeito dos temas relacionados à igualdade de gêneros e à diversidade sexual. “É importante manter a formação sobre esses temas nas escolas para que meninos e meninas cresçam com visão de igualdade entre homens e mulheres; isso ajuda a evitar que eles sejam futuros agressores e que elas se submetam a situações de violência; não adianta só atuar na ponta, punindo agressores, mas também devemos trabalhar com a prevenção, educando as crianças”, resume.

Veja na matéria do Centro de Referências em Educação integral algumas das estratégias do PME alteradas ou banidas.