Do nosso parceiro Portal Aprendiz

Tirar o aluno do espaço escolar e levá-lo para a cidade, expandindo as possibilidades de aprendizagem e permitindo que aquela pessoa em desenvolvimento se aproxime da realidade do território onde vive e estuda, sempre foi uma premissa da educação integral. Questões urbanas problemáticas como segurança e mobilidade, contudo, ainda fazem com que muitas escolas mantenham as portas fechadas para a cidade.

crédito: reprodução

Créditos: crédito: reprodução

Levar as crianças para participarem da rotina urbana.

Na EMEI Monteiro Lobato, situada na região central de São Paulo  momentos de aprendizagem externa se tornaram comuns na rotina escolar e são valorizados não apenas pelas crianças, mas também pelos docentes, funcionários e famílias. A escola promove visitas pedagógicas ao Museu de Arte Brasileira (MAB), ao Instituto Moreira Salles e à Biblioteca Monteiro Lobato. A EMEI Gabriel Prestes, outra escola na região central de São Paulo também promove itinerários educativos pela cidade.

Já no CEU Alvarenga, o único equipamento cultural disponível na região da Pedreira, na zona sul do município, as crianças saem para fotografar o bosque vizinho e jovens percorrem trajetos educativos pelas ruas, becos e vielas.

Também na zona sul da cidade, a EMEI Chácara Sonho Azul fez questão de assinalar em seu projeto político-pedagógico que “a criança tem direito à cidade”.

Leia no Portal Aprendiz a matéria completa com a experiência detalhada de cada escola.

Portal Aprendiz

 As oportunidades educativas que as cidades oferecem constituem o principal foco das reportagens publicadas no site. Iniciativas, pessoas, organizações e políticas públicas que fazem dos territórios lugares mais educadores, inteligentes, sustentáveis, criativos, inclusivos e democráticos são alguns dos assuntos abordados.