Um relatório divulgado pela organização Transparência Brasil, que busca acompanhar a integridade do poder público, constatou que quase metade das obras de creches e escolas públicas de programas do Governo Federal estão atrasadas ou paralisadas, o que pode gerar desperdício de dinheiro público. O relatório analisou a atuação do Programa de Ações Articuladas (PAR) e do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância).

O estudo incluiu acompanhamento de 12.925 obras de creches e escolas de 2007 a 2017. Depois desses 10 anos de trabalho, somente 37% das obras foram concluídas, enquanto 642 foram canceladas. Assim, há 7.453 a serem encerradas – 29% delas paralisadas e 17% atrasadas. Até agora, o relatório aponta que foram gastos R$ 1,5 bilhão com as obras.

Créditos: iStock

Organização acompanhou obras do Governo Federal

A Transparência Brasil ainda sinaliza em seu relatório que alguns dados estão ausentes, como a etapa de execução das obras, os valores dos repasses, os endereços das construções, as datas de assinaturas de contrato e a previsão de entrega. Com essa falta de transparência, fica mais difícil acompanhar e fiscalizar o trabalho.

Além disso, 10% das obras não tem endereço do terreno conhecido. As que foram fiscalizadas em seu local concreto apresentaram um atraso de 21 pontos percentuais em relação ao que foi monitorado remotamente pelas prefeituras. Acesse o relatório completo aqui.

Leia mais:

Escola troca Dia dos Pais e Mães pelo dia do ‘Quem Cuida de Mim'

Prêmio Professores do Brasil reconhece projetos na escola pública