O contato com a natureza e as brincadeiras ao ar livre são fundamentais para o pleno desenvolvimento da infância. Um especialista norte-americano, o jornalista Richard Louv, que se dedica a estudar o tema, até cunhou o termo “transtorno da deficiência de natureza” para assinalar o pouco convívio que muitas crianças têm hoje com esse universo.

De acordo com Mariana Plata no blog PsychCentral, um estudo recente apresentado na Pediatrics National Conference & Exhibition, em Chicago, apontou que crianças que têm áreas verdes em suas escolas demonstram níveis de estresse reduzidos, assim como um aumento em sua atividade física.

Créditos: iStock

A natureza proporciona uma série de benefícios para a infância

Mas os benefícios da brincadeira ao ar livre não param por aí: o artigo defende que essa atividade também tem uma importância para o aprimoramento das habilidades sociais da criança, já que, nesse contexto, ela também é obrigada a interagir com o outro – aprendendo a esperar por sua vez de usar um brinquedo, a administrar filas e a criar parcerias para o brincar.

A natureza também auxilia no desenvolvimento do que os especialistas em educação chamam de “4Cs”: pensamento crítico, cooperação, colaboração e criatividade (em inglês, critical thinking, cooperation, collaboration e creativity). Educadores ao redor do mundo, como defende o artigo, buscam estimular essas competências em seus alunos, que seriam fundamentais para alcançar o sucesso.

Créditos: iStock

Brincar ao ar livre estimula o desenvolvimento da criatividade

E a interação ao ar livre possibilitaria o desenvolvimento dos 4Cs porque, diante de tantos materiais diferentes, como pedras, gravetos e plantas, as crianças são convidadas a dar vazão à imaginação e a inventar uma série de representações e atividades. Por fim, a vivência com a natureza estimula o que os especialistas têm chamado de “inteligência natural” ou “consciência natural”, que seria um senso de cuidado com a natureza e de consciência da importância de preservá-la.

Leia mais:

Oito dicas para promover uma educação integrada com a natureza

Pé na grama para brincar: o que a infância perde sem a natureza?