Dentre os males da modernidade, um merece destaque: o celular. Ele está presente nos almoços de família, na reunião de trabalho, na sala de aula, no carro, no transporte público e até no banheiro. Só que essa exposição toda à tecnologia pode ser muito prejudicial para o desenvolvimento das crianças.

Os pequenos, desde bem pequenos, têm verdadeira fixação pelas telas. Começam vendo vídeos infantis, à medida que crescem acompanham blogueiras no Youtube, jogam e vão usando mais e mais. Esse foi o tema do vídeo recentemente publicado no canal Criar e Crescer, do pediatra Daniel Becker, nosso parceiro.

Créditos: Reprodução/Youtube

Os pais precisam estar atentos ao uso das tecnologias pelas crianças.

“Não é fácil ser mãe hoje em dia”, é como começa o vídeo. E não é mesmo. “A internet é a maior mudança que a sociedade já sofreu”, complementa ele, em outro trecho. Como educar e controlar os filhos com tanta informação, tanto conteúdo, tanto dinamismo?

A tecnologia traz efeitos positivos e negativos, e é importante extrairmos o que de melhor ela tem a oferecer, e fazer uso dela de maneira saudável e consciente, transmitindo isso também para os filhos.

O conteúdo da internet é totalmente livre, e pode ser acessado por equipamentos portáteis, o que dificulta ainda mais o trabalho dos pais, que inevitavelmente têm que se envolver.

Assim como os adultos não podem permitir a livre escolha dos alimentos, por exemplo, não podem também permitir o livre acesso aos conteúdos da nuvem. Essa exposição pode ser perigosa, e precisa de muita atenção e cautela.

Esse controle precisa se estabelecer, principalmente, pelo diálogo. Assim, eles se tornam mais conscientes do que a rede pode oferecer e entendem que não podem ficar mergulhados por horas acessando milhares de conteúdos.

Créditos: Reprodução/Youtube

Dentre os males da exposição às telas em excesso estão: problemas oftalmológicos, sociabilidade, interação, desenvolvimento linguístico, etc.

É preciso que as crianças saiam do mundo virtual e se abram para o mundo real, de relacionamentos reais, experiências reais, para o olho no olho, para as trocas pessoais, que são muito importantes.

Daniel reforça a relação do uso de eletrônicos e o sono, como falamos recentemente aqui, em matéria publicada. O excesso de telas impacta na capacidade cognitiva das crianças também, além de contribuir para a epidemia de problemas oftalmológicos (também falamos sobre isso recentemente – clique aqui pra conferir).

Um dos principais fatores preocupantes da geração que tem contato excessivo com os eletrônicos é a socialização. A capacidade de convívio, de interação, desenvolvimento linguístico e de interpretação. É importante mencionar também o cyberbullying, que está presente no universo infantil.

Daniel dá dicas importantes aos pais sobre controle e restrição de conteúdos virtuais, e fala sobre os males da tecnologia na modernidade. Para conferir o vídeo, clique aqui ou assista abaixo:

Leia mais:

Telas: exposição à luz é prejudicial para o sono das crianças

Crianças e telas: participação dos pais pode equilibrar rotina

Samara Felippo reflete sobre telas e crianças: 'como equilibrar?'