foto: divulgação

Créditos: foto: divulgação

Violência sexual na infância.

Com apenas R$ 0,40, o bonequinho da foto ao lado, o IMO (relativo à imagem)  está viajando o mundo. Ele foi criado por Caroline Arcari, escritora do premiado livro “Pipo e Fifi - prevenção de violência sexual para crianças”. O boneco feito de tecido algodão pode ser pintado pelas crianças com giz de cêra, e as ensina a entenderem seu corpo, nomear todas as partes, incluindo as partes íntimas e como identificar a diferença entre toques de afeto e toques abusivos.

Como é de baixo custo, o material já chegou gratuitamente nas mãos de crianças de cinco países: Inglaterra, Espanha, Portugal, Brasil e, recentemente, Cabo Verde no continente africano. Milhares de crianças têm sido beneficiadas com o projeto PIPO E FIFI, cujo objetivo é mostrar de forma lúdica e descomplicada como diferenciar toques de amor de toques abusivos, apontando caminhos para o diálogo, busca de ajuda e proteção.

Campanha 'Quanto custa?' aborda as consequências da cultura de tolerância à violência sexual

Nos bonequinhos, as próprias crianças desenham os genitais, pintam de acordo com suas próprias características e definem o que consideram íntimo e que nenhum adulto ou pessoa mais velha pode tocar se não for por motivos restritos de higiene e saúde. Os bonequinhos ficam para a criança para que ela relembre os conceitos desenvolvidos nas aulas.

Muitos professores têm relatado casos nos quais a criança se encoraja a contar sobre a violência sexual sofrida porque percebem que os adultos estão falando sobre isso e dispostos a ajudar. O bonequinho e o livro servem como um recurso que facilita o diálogo, faz uma ponte entre o adulto protetor e a criança, além de mostrar que a criança não está sozinha e será protegida se contar.

1/6

 

2/6

 

3/6

 

4/6

 

5/6

 

6/6

 

  •  

    1/6

  •  

    2/6

  •  

    3/6

  •  

    4/6

  •  

    5/6

  •  

    6/6