Do nosso parceiro Rede Nacional Primeira Infância

“No meu bairro, tem casas que ficam alagadas quando chove, falta moradia. Como falar com o governo para fazer moradias para as crianças?”

crédito: Claudio Fachel/SDH

Créditos: crédito: Claudio Fachel/SDH

Abertura da Conferência nacional de Direitos Humanos.

A Conferência Nacional dos Direitos da Criança e Adolescentes terminou no dia 26 de abril, em Brasília. Depois de três dias de muita reflexão, aprendizado e escuta, os delegados (eleitos para representar) do Grupo de Trabalho - GT Criança, com idade entre sete e 11 anos, tiveram suas propostas aprovadas – entre lágrimas de emoção e gritos e palmas de apoio.

O mosaico dos sonhos foi entregue por uma comissão de crianças à Presidenta Dilma Rousseff durante a solenidade de abertura. O sucesso da ação inspira que a participação das crianças seja efetivada e garantida pelo Conselho Nacional de Direitos da Criança e Adolescente (Conanda), pelos Conselhos de Direitos da Criança nos Estados e municípios, nas escolas, e em outras esferas públicas que deliberem sobre temas que digam respeito a elas.

Entre as propostas apresentadas pelas crianças, estavam a divulgação do Estatuto da Criança e Adolescente, o direito à educação, moradia e lazer, além da promoção da igualdade e o respeito às diferenças. Por trás da celebração e felicidade durante a apresentação do mosaico final, uma equipe de facilitadores conduziu um processo estruturado de escuta das crianças, que teve como objetivo capacitar os participantes para conhecer e reconhecer bons porta-vozes, e refletir sobre as habilidades importantes para um delegado.

O GT de Participação Infantil da Rede Nacional da Primeira Infância foi uma das organizações responsáveis por essa ação desde o envio de uma carta pedindo que o Conanda contemplasse a participação das crianças pequenas na Conferência, incluindo reuniões com as equipes da organização do evento e participando durante a elaboração do guia metodológico que orientou as atividades.

Equipe de facilitadores
Cerca de 20 crianças, representando todas as regiões brasileiras e eleitas como delegadas em seus estados integraram o GT Criança. Ao longo dos três dias, as crianças brincaram e participaram de diversas dinâmicas e atividades, que tinham como objetivo desde o acolhimento e fortalecimento das relações entre os integrantes do grupo até debates sobre suas experiências e sobre as características de um delegado. As crianças também participaram de atividades de reflexão sobre seus próprios conhecimentos sobre os direitos e responsabilidades, a importância da escuta e expressão da sua mensagem, até finalmente as atividades que objetivaram organizar as propostas trazidas pelas crianças.

“Esse GT é fundamentado por uma abordagem baseada em direitos e centrada na criança, que reconhece o direito das crianças e adolescentes de participarem em assuntos que lhes dizem respeito: os seus direitos para dar opiniões, para adultos ouvirem, e para que seus pontos de vista sejam levados a sério”, afirma o Guia Metodológico (clique aqui para baixar).

Confira a matéria completa no site da RNPI

Rede Nacional Primeira Infância

A RNPI é uma articulação nacional de mais de 160 organizações da sociedade civil, do governo, do setor privado, de outras redes e de organizações multilaterais que atuam, direta ou indiretamente, pela promoção e garantia dos direitos das crianças até seis anos.