A  empresa de moda Hennes et Mauritz, conhecida como H&M, vem enfrentando uma polêmica sobre racismo.

Uma foto publicitária que envolve um menino negro tem gerado reações indignadas nas redes sociais. Na imagem, que apareceu na loja online, a criança veste um casaco de moletom em que se lê a frase "Coolest monkey in the jungle" (O macaco mais legal da selva, em tradução livre).

Segundo posicionamento da companhia, divulgado pelo The New York Times, a empresa “retirou a imagem  e disse que também tiraria a peça de suas lojas em todo o mundo”.

"Pedimos desculpas aos que se sentiram ofendidos", lamentou o grupo.

Mas isso não acalmou os ânimos. The Weeknd,  cantor pop canadense de descendência etíope, posicionou-se em seu Twitter na segunda-feira e deixou claro que não fará trabalhos futuros com a marca.

“Acordei essa manhã chocado e envergonhado com essa foto. Estou profundamente ofendido e não mais trabalharei com a H&M”, disse. O texto já teve mais de 99 mil retweets e 222 mil likes.

A empresa disse que investigará como a imagem apareceu em "alguns mercados europeus", e, até mesmo, como o moletom foi parar nas lojas.

"É óbvio que nossas rotinas não foram seguidas corretamente. Isso é óbvio ", disse a empresa. "Vamos investigar minuciosamente porque isso aconteceu para evitar que este tipo de erro ocorra novamente".

Inúmeras pessoas estão usando a hashtag #boycottHM (#boicoteHM) ou #hmracist (#hmracista) nos Estados Unidos e outros lugares para declarara repúdio e organizar uma reação coletiva ao caso.

Outro ponto levantado pelos internautas é o fato de uma criança branca usar um moletom com outra estampa. Nesse caso, parte da frase diz: "especialista em sobrevivência". Alex Medina, que é designer de marca da Vox Media também fez um twitter em que diz:

"Em 2018 não há como um diretor de marca ou arte ser negligente ou ter falta de noção dessa forma. Se você olhar para outros casacos na mesma categoria eles têm crianças brancas. Precisamos melhorar", afirmou.

O influencer Chris Classic fez uma adaptação da foto do modelo negro. Na imagem editada, ele aparece com uma coroa de rei e a frase é encoberta também com o símbolo de uma coroa.

A intervenção no anúncio já chegou a 73 mil likes, 4 mil comentários e tem sido compartilhada em outras páginas, como a do movimento cultural Afropunk, que tem 818 mil seguidores.

Chris explicou na legenda que ele fez isso "porque não quer mais ver esse pequeno rei usando o casaco que a H&M o contratou para usar".

"Ele um dia verá toda essa palhaçada porque a internet não apaga as coisas. Eu só espero que ele também veja essa ou qualquer outra que o celebre".

Em outro post, o influencer, que também é pai, reforçou ainda que fez a edição porque é isso que ele considera valioso para o seu filho. "Devemos tomar conta da nossa narrativa. Eu realmente não quero que esse jovem cresça vendo somente imagens de si mesmo que são degradantes".

Leia mais

'Não deixe seus filhos serem crianças que não respeitam as raças'

Apenas 3% das bonecas à venda na internet são negras

'Preconceito causa marginalização de crianças', diz especialista