Um projeto desenvolvido no Reino Unido tem servido de modelo para todo o mundo. Chamado de “Playing Out”, ele fecha ruas residenciais para que as crianças possam brincar livremente. Conforme reportado pelo site Child in the City, as organizadoras do projeto notam a potência dessa iniciativa, mas uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de Bristol apontou o impacto do projeto.

O primeiro aspecto que o estudo aponta é que as crianças se mostram de três a cinco vezes mais ativas durante as sessões de “Playing Out” do que em um dia normal. Elas também aproveitam o tempo ao ar livre por um período 70% maior. Além disso, durante a brincadeira, mostram que têm desenvolvido suas competências motoras e sociais, andando de bicicleta, interagindo com outras crianças, entre outros.

Créditos: iStock

Conexão com a comunidade é outra vantagem do projeto

A pesquisa mostra também que o projeto tem colaborado para que as pessoas de uma mesma comunidade se conheçam e interajam mais. Entre os participantes, 91% dizem conhecer mais gente depois do projeto e 84% reportam uma sensação de pertencimento ao bairro. Outro impacto tem relação com o senso de cidadania, que os adultos da pesquisa apontam como tendo aumentado.

Por fim, entre as consequências da iniciativa, outra conclusão são os efeitos de longo prazo, que ultrapassam o período de desenvolvimento do projeto. Depois de seu início, as crianças de uma mesma região passaram a interagir mais entre elas, mesmo nos outros dias. É uma iniciativa transformadora que pode enriquecer muito a experiência infantil.

Leia mais:

Tecnologia pode enriquecer ainda mais o brincar, diz artigo

Livro inspira meninos a brincarem de boneca