Papa Francisco demonstrou mais uma vez sua preferência pela sensibilidade e pela humanização de grandes eventos religiosos. Durante uma grande cerimônia em que batizaria 34 crianças na Capela Sistina, o pontífice disse às mães presentes que se sentissem livres para amamentar seus bebês.

Créditos: divulgação

Papa Francisco

O batismo papal, evento anual e exclusivo para o batizado de filhos de funcionários do Vaticano ou da diocese de Roma, é longo, dura mais de duas horas. Assim, não é de se surpreender que as crianças tivessem fome em meio à cerimônia. As informações são do G1.

"Se eles começam com um concerto (de choros), ou se estão incomodados, ou com calor, ou não se sentem bem, ou têm fome... Amamentem-nos, não tenham medo, alimentem-nos porque isso também é linguagem de amor", disse.

Não são raras as vezes em que vemos estabelecimentos que vetam o ato, transformando-o num tabu. Que o gesto do papa sirva de exemplo e amamentar possa ser considerado o que é: natural e bem-vindo.

Leia a íntegra da reportagem.

Projeto de lei quer garantir o direito de amamentar em público