*Com informações de Revista Crescer

Faz parte do desenvolvimento e do entendimento de mundo das crianças perguntar. Quem é mãe ou pai, ou quem acompanha de perto alguma criança, sabe que tem aquela temida fase, que começa por volta dos cinco anos, dos porquês. Mas você já parou para pensar em quantas perguntas os pequenos fazem em um único dia?

Uma pesquisa publicada pelo site britânico Littlewoods descobriu que as crianças preferem tirar suas dúvidas com as mães, e fazem isso, em média, 300 vezes por dia. Sim, isso mesmo, 300! Se o número parece assustador, é porque ele realmente é.

Créditos: iStock

As perguntas ajudam no desenvolvimento das crianças, afinal, elas estão descobrindo e conhecendo o mundo.

O estudo, feito com mil mães de crianças entre dois e 10 anos, mostrou que, com essa quantidade de perguntas na conta das mulheres, elas são mais requisitadas que professores de escola primária, médicos e enfermeiras.

Ainda de acordo com a pesquisa, as cinco principais perguntas feitas pelas crianças britânicas são: por que a água é molhada? (35%), onde termina o céu? (34%), as sombras são feitas de que? (33%), por que o céu é azul (20%) e por que os peixes respiram embaixo da água? (18%).

Mas é importante dizer que, por mais difícil que possa ser às vezes, os pais devem saber lidar com esses questionamentos de modo a estimular a curiosidade dos filhos, afinal, esta é a prova de que o sistema cognitivo está se desenvolvendo plenamente. Além disso, ajudar na compreensão do mundo aguça a percepção das crianças e a vontade de aprender.

Créditos: iStock

Segundo a pesquisa, as mães são as mais procuradas pelos filhos para as perguntas.

Nem todas as perguntas que as crianças fazem são simples – às vezes nem os adultos conhecem as respostas ou mesmo podem se constranger na hora de explicar. Pensando nisso, a Crescer fez uma entrevista com a psicotarapeuta Frinéa Souza, que ajudou em algumas delas:

  • Sexo

A descoberta da sexualidade acontece também por volta dos 5 ou 6 anos de idade e vem recheada de curiosidades sobre o próprio corpo, sobre o corpo das outras crianças, da percepção das regiões mais sensíveis. É também nessa fase que os meninos se apaixonam na sala de aula, que começam a sentir algo diferente, mas não sabem dizer o que é.

Quando surgirem as dúvidas sobre sexualidade, a especialista explica que os pais precisam deixar o constrangimento de lado e tentar explicar a verdade para a criança. “Não precisa explicar tudo com detalhes, mas eles podem contar uma história na qual essa verdade apareça, usando recursos de um universo que ela reconheça, como príncipes e princesas. É bom o adulto explicar também que há tempo para as coisas, que tudo começa com um beijo, com um toque na mão.”

  • Morte

Um cachorrinho que parte, o avô que começa a ficar doente ou mesmo uma notícia na TV colocam as crianças, pela primeira vez, em contato com a morte. Aí surgem perguntas como ele está morto por quê?, Como é que morre?, Vai para onde?, Existe Deus e Diabo?. E se até para os adultos é difícil lidar com a partida de alguém, imagine para uma criança. “A morte é uma coisa muito complexa para a cabeça das crianças. Por isso os pais precisam ser pacientes e, de acordo com as crenças de cada um, explicar várias vezes até elas entenderem”, aconselha Frinéa Souza.

  • Natureza

Animais e fenômenos da natureza. Toda criança tem uma fase na qual está muito ligada nesses dois assuntos. Por que chove?, por que cai neve?, de onde vêm os trovões? e por que galinha bota ovo? são algumas das perguntas que podem aparecer sobre o tema. A dica aqui é transformar as dúvidas do seu filho em diversão para você também. Que tal pesquisar junto com ele em livros e na internet? Olhar mapas, levar em exposições e museus ou ler livros são atividades que, além de divertidas, podem saciar a curiosidade dos pequenos e aproximar mais a família.

Leia mais:

'Manhê': blogueira desabafa sobre filhos sempre recorrerem à mãe

Ensino: como fazer perguntas instigantes para os alunos