Culpa, maternidade e paternidade: por mais que os pais e mães se empoderem, informem-se e contem com uma grande rede de apoio, essas três palavrinhas andam de mãos dadas a partir do momento em que nasce um bebê. E, se a culpa existe, que tal naturalizar esse sentimento tão comum às famílias com uma brincadeira saudável?

Com essa proposta, o site Potencial Gestante criou um jogo diferente: o bingo da culpa materna. Tudo não passa de uma grande brincadeira, mas é muito fácil se identificar. Entre as pedrinhas criadas, estão:

"Deu o tablet por um minuto de paz"
"Desmamou antes de 1 ano"
"Fingiu que estava dormindo para o parceiro pegar o bebê"

Para aliviar o stress da culpa na criação dos filhos, o bingo da maternidade brinca com as principais angústias da maternidade.

Créditos: Potencial Gestante

Para aliviar o stress da culpa na criação dos filhos, o bingo da maternidade brinca com as principais angústias da maternidade.

Leia também: Nasce uma mãe, nasce a culpa: como lidar com ela?

Porém, colocando o senso de humor de lado, este bingo faz-de-conta levanta uma questão muito maior: a culpabilização das mães. Assuntos como criança e tecnologia, desfralde, desmame, escolha do parto, alimentação, alfabetização e escolarização aparecem todos os dias aqui no Catraquinha, e suas complexidades podem assombrar a vida de uma mãe e de um pai. Porém, informação é o mais importante para que cada família se empodere e tome as decisões que melhor lhe couber, afinal, cada uma tem suas próprias condições, limitações e contextos totalmente diferentes.

Mas, para espantar a culpa, é importante não perder de vista que a criação de uma criança não possui receita certa nem respostas únicas ou verdades absolutas. O que não pode faltar  - mesmo - é afeto, segurança e apoio.

Leia mais: