Quando nasce um bebê, é comum que familiares e amigos queiram estar por perto. Conhecer, presentear, fotografar, enfim, fazer parte deste acontecimento especial. No entanto, este momento também deve ser de preservação, de cuidado, e até mesmo reclusão – trata-se da Lua de Leite. Acima de tudo, deve ser de respeito às escolhas dos pais.

Assim como na Lua de Mel, em que o casal busca privacidade para curtir o momento a dois, na Lua de Leite essa privacidade é para a família. Para enfrentar o puerpério, se adaptar à nova rotina e construir um vínculo com o bebê, muitas mães decidem esperar para receberem visitas.

Créditos: iStock

Muitos pais optam por viver a Lua de Leite e esperar alguns dias para receber visitas ao recém-nascido.

Em entrevista ao Domingo Espetacular, a pediatra Rafaella Gato Calmon explica: “É um período onde está sendo estabelecida a amamentação, estabelecidos os vínculos de carinho, de cuidado e da rotina”.

Além da busca pela privacidade e adaptação à nova rotina, este tempo de reclusão é importante para evitar possíveis contaminações, já que os bebês são muito frágeis e ainda não têm o sistema imunológico totalmente formado.

“Muitas vezes o adulto pode não estar apresentando nenhum sintoma e pode passar o vírus para o bebê, só pelo contato – pegando na mãozinha ou beijando o rostinho. Então a gente tem que ter bom senso e limitar esse contato no começo.”, completa Rafaella.

Nesse período, é recomendado que a puérpera se afaste das tarefas e obrigações do dia a dia e que tente fazer o máximo de repouso possível, dentro de suas limitações e vontades.

Também é ideal estar num ambiente calmo e estimular o contato pele a pele, que libera ocitocina natural e ajuda na amamentação.

Créditos: iStock

Os primeiros dias do bebê são cruciais para estabelecer um vínculo e uma amamentação de qualidade.

Mas nem sempre comunicar essa decisão aos amigos e familiares é uma tarefa fácil. A psicóloga Daniela de Almeida Andreto, também em entrevista ao Domingo Espetacular, orienta que o casal comente com as pessoas mais próximas sobre o desejo de privacidade antes mesmo do parto.

“Avisar o porquê daquilo – que aquilo faz bem, que é importante para ambos. Eles vão ser parceiros nesse cuidado”, é o que recomenda Daniela. Deixando claro e explicado, fica mais fácil ser compreendido.

Recentemente Ivete Sangalo deu à luz às gêmeas Marina e Helena. A gestação foi muito comentada, divulgada e acompanhada por fãs de todo Brasil, e o assunto “Lua de Leite”, apesar de uma prática antiga, voltou a ganhar visibilidade.

O nutricionista Daniel Cady, marido da cantora, usou as redes sociais para agradecer o carinho de todos e também para dizer que a recomendação médica era de repouso e que as visitas deveriam ser moderadas.

Créditos: Reprodução/Facebook Daniel Cady

O marido da cantora Ivete Sangalo, Daniel Cady, usou sua conta no Facebook para agradecer o carinho de todos e reforçar a Lua de Leite.

  • Se preparando para o puerpério

O blog Grão de Gente listou algumas dicas para se preparar para o puerpério e para a Lua de Leite. Confira:

• Deixe refeições congeladas ou organize-se para que você não tenha que pensar em preparar ou comprar comida;
• Mande um e-mail para amigos e parentes explicando o desejo de ficar a sós com o bebê no período de x dias após o nascimento, explicando os motivos, se quiser;
• Combine com a equipe médica (incluindo o pediatra) que você faz questão do contato pele a pele e da amamentação na primeira hora de vida;
• Crie ou fortaleça sua rede de apoio – isto é, aquelas pessoas próximas, que respeitam o seu desejo e entendem a delicadeza do pós-parto, com quem você poderá contar para ir ao mercado, passar na farmácia, limpar sua casa, e que também estejam dispostas a ouvir sem julgar, dar um ombro para você chorar e fazer carinho quando mais precisa.

É muito importante estabelecer uma rede de apoio durante a gestação e puerpério. Busque pessoas próximas com quem você possa contar para te ajudar nesse momento difícil.

Além disso, se achar necessário, consulte uma doula pós-parto, uma educadora perinatal ou uma consultora de amamentação – essas profissionais podem te ajudar a superar essa fase.

Por meio dessa rede de apoio, é possível esclarecer dúvidas, ter acompanhamento com os primeiros cuidados com o bebê, com a recuperação do parto e com a amamentação.

O suporte informativo, físico e emocional propicia restabelecimento e bem-estar. Mamãe saudável e tranquila é sinônimo de bebê feliz.

Créditos: iStock

É importante que a mulher tenha uma rede de apoio e se sinta confortável sobre suas decisões. Isso ajuda a enfrentar o puerpério de forma mais leve.

Em um vídeo recente, a youtuber e mãe Hel Mother também reuniu dicas valiosas para enfrentar o puerpério com mais leveza. Clique aqui e confira o post que fizemos no Catraquinha.

O Catraquinha apoia a liberdade e escolha individual de cada mulher. Nenhuma regra vale para todas, ou seja, respeite seus limites e suas vontades, permita-se fazer o que te deixa mais confortável. Com Lua de Leite ou sem Lua de Leite, seja feliz!

Leia mais:

10 presentes para quando você for visitar um recém-nascido

Hel Mother: 10 dicas para enfrentar o puerpério com mais leveza

Ivete Sangalo: 'amamentação é uma das coisas mais prazerosas'