De acordo com os dados da pesquisa “Retratos da leitura no Brasil” realizada em 2011 pelo Instituto Pró-Livro, o brasileiro lê em média quatro livros por ano. Quando falamos em incentivadores à leitura, os professores passaram do segundo para o primeiro lugar, ultrapassando a indicação da mãe. “As mães continuam sendo muito lembradas e quase empatam nessa positiva disputa, mas a subida importante do professor pode ser reveladora em relação a ações que estão dando certo", diz Luis Antônio Torelli, ex-presidente da Câmara Brasileira do Livro.

E realmente é  na infância que se dá o primeiro contato com a linguagem literária. Com o objetivo de atentar para a qualidade daquilo que oferecemos às crianças na iniciação ao universo literário, o portal A Taba, formado por um grupo independente de estudiosos de literatura infantil , seleciona e resenha as melhores obras para cada um dos diferentes tipos de leitores.

Neste post, Denise Guilherme elenca caminhos para formar crianças leitoras.

Confira!

1.    Comece a ler desde a gestação. Pode parecer estranho fazer a leitura de textos em voz alta para a barriga, mas está provado que – desde os primeiros meses de vida – os bebês são capazes de ouvir. E mais importante do que a escuta, é a criação do vínculo que pode se estabelecer entre pais, filhos e livros.

 

2.      Defina um tempo para leitura no dia a dia.Torne essa experiência algo que faça parte da rotina da família. Não é preciso criar grandes rituais, mas a frequência ajuda na construção do hábito.

3.      Deixe a vergonha de lado. Não tenha medo de resgatar o ator/atriz que há em você. Faça vozes, crie brincadeiras, divirta-se.

4.       Fique atento à escolha de livros. O mercado está repleto de livros para crianças que não possuem qualidade literária e que subestimam a inteligência do leitor. Deixe de lado critérios como idade e gênero. Procure indicações que contemplem a experiência leitora, os interesses do seu filho e os temas que gostaria de apresentar a ele.

5.       Frequente bibliotecas e livrarias. Acompanhe blogs e sites especializados, como A Taba. Garimpe, procure além dos livros que estão expostos nas prateleiras. Aprenda a escolher, escolhendo.

6.       Mantenha os livros ao alcance, mesmo no caso das crianças muito pequenas. Não tenha medo que eles se danifiquem. Livro bom é livro lido.

7.      Ajude seu filho a formar uma biblioteca pessoal. Ela poderá ajudá-lo a contar a sua história de leitor. Invista uma parte do seu orçamento para compra de livros. Os serviços de assinaturas, como o Clube de Leitores – A Taba – podem ser uma ótima forma de fazer isso, com obras selecionadas por especialistas e entregues mensalmente em casa.