Do nosso parceiro Tempojunto.

Existem brincadeiras que definitivamente não saem de moda. Brinquedos que são simples e que nossos pais, avós, adoravam e com os quais as crianças de hoje ainda brincam. A boa e velha bola é um deles – passa de geração em geração. E no país do futebol, ela está presente em quase todas as casas.

O blog parceiro Tempojunto reuniu algumas brincadeiras com bola para diversificar e se divertir, seja entre as crianças, ou entre pais e filhos. Afinal de contas, este é um brinquedo super democrático, que permite infinitas possibilidades.

Outro benefício importante que brincadeiras como esta trazem para as crianças e adolescentes é a pausa nos eletrônicos: “diante de uma geração que passa cada vez mais tempo sentada diante de uma tela, procuro construir nas minhas filhas o hábito de, desde cedo, colocar o corpo em movimento. Seja através da prática esportiva, seja através das brincadeiras” – conta Patricia, autora do post.

Quanto mais formas de brincar propusermos, mais interessante fica e mais tempo a criança vai reter e se manter fora dos celulares e tablets. “E se a brincadeira tivesse duas bolas no lugar de uma?” – questiona a publicação.

Confira abaixo algumas das opções que o Tempojunto trouxe, usando bolas:

  • Jogar a bola uma para a outra, ao mesmo tempo, usando as duas mãos

Créditos: Reprodução/Tempojunto

Uma opção de brincadeira usando a boa e velha BOLA.

  • Jogar as bolas num determinado ponto no chão
  • Jogar uma para a outra usando, primeiro, apenas a mão direita (e depois a esquerda)

Créditos: Reprodução/Tempojunto

O post traz algumas ideias, mas usando a criatividade é possível colocar em prática infinitas.

  • Jogar as bolas para que elas batam no ar

É claro que essas são apenas algumas possibilidades, existem muitas outras – use a sua criatividade e brinque muito! Para conferir o post completo, clique aqui.

Leia mais:

Sarau em família: descubra talentos e divirta-se nessa atividade!

'Brincar Junto!' : guia para brincadeiras criativas em família

Brinquedos: como dar autonomia à criança sem criar o caos?