Quando as crianças são afetadas por alguma situação, nada melhor do que ouvi-las antes de buscar soluções. Nesta semana, diante da crise do suprimento e da falta de variedade de merenda na rede municipal de ensino da cidade de São Paulo, o Conselho de Crianças da Escola Municipal de Educação Infantil Dona Leopoldina, no Alto da Lapa, produziu uma carta destinada ao prefeito João Doria.

Na carta, começam dizendo: "Aqui na escola todo dia tem geleia de amora. A gente não aguenta mais geleia. Tem que ter requeijão, manteiga, geleia de frutas diferentes, sucrilhos, rosquinha". Falam ainda: "A gente não está gostando e não quer que mande mais geleia. Se tem só a geleia de amora, a gente não come e na hora que vai brincar no morro a gente não tem força, tudo por causa dessa geleia".

Créditos: Reprodução/ Facebook

Alunos pedem mais variedade na merenda escolar

As crianças explicam que a restrição também está prejudicando a turma à tarde: "O lanche da tarde só tem bolacha de água e sal sem nada, podia ter uma manteiga. Quem não come bolacha água e sal fica com fome na perua. Tem muito arroz doce, tinha que mandar frutas".

Por fim, a carta ainda traz um ensinamento sobre a importância de ter uma alimentação variada: "Precisa de um pouquinho de cada comida para fazer bem. Se quiser mais pode pegar mais um pouquinho". Os alunos terminam pedindo para que mandem frango, que as "fadinhas da cozinha" fazem muito bem, mas que não tem há um tempo.

Leia mais:

Na Bélgica, cada dia uma família leva a merenda para os alunos

Como esse educador resolveu o problema de desperdício da merenda