Uma alimentação saudável é fundamental para um bom desenvolvimento das crianças no ambiente escolar e em todas as áreas da vida.

De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, o Brasil alcançou, nas últimas décadas, importantes mudanças no padrão de consumo alimentar devido à ampliação de políticas sociais nas áreas de saúde, educação, trabalho, emprego e assistência social.

Na primeira semana de janeiro, a prefeitura de São Paulo sancionou o projeto de lei que retira salsichas, linguiças, salames, mortadelas e chouriços, sejam eles defumados ou não, do cardápio das crianças e adolescentes.

Créditos: iStock

Segundo o vereador, os efeitos do consumo excessivo de embutidos podem causar obesidade, diminuir a expectativa de vida, aumentar a incidência de doenças coronárias e diabetes

A previsão é que a nova norma entre em vigor em 60 dias, ou seja, até o início de março, após a regulamentação do projeto.

O projeto de lei PL 587/2015 é do vereador Gilberto Natalini (PV) e foi aprovado na Câmara dos Vereadores em outubro de 2017.

Além disso, o objetivo da administração municipal é fazer uma campanha entre professores e estudantes para alertar sobre os riscos do consumo desses alimentos.

"A ideia é proteger a saúde dos alunos e para isso a alimentação precisa ser mais saudável", explica  Natalini.

Segundo o vereador, os efeitos do consumo excessivo de embutidos podem causar obesidade, diminuir a expectativa de vida, aumentar a incidência de doenças coronárias e diabetes. Tudo isso devido ao alto teor calórico e da presença de substâncias tóxicas, do tipo cancerígenas, como o nitrito e nitrato.

Leia mais:

Prefeitura de SP regulamenta lei que torna obrigatória a inclusão de alimentos orgânicos nas escolas

Meninas criam app para crianças avaliarem merenda escolar

Em carta a prefeito João Doria, alunos pedem variedade na merenda