O usuário e/ou senha digitados estão incorretos.

O parto é seu: benefícios do parto normal que você não conhecia

“Se a primeira impressão que o bebê tem do mundo é a de amorosidade, de uma experiência positiva, ele vai ficar marcado com isso".

08/06/2017 17:50 | Atualizado: 12/06/2017 12:39

por Mayara Penina

Começar uma matéria dizendo que ela interessa a todas as pessoas pode parecer conversa de vendedor. Mas é possível justificar esta afirmação. Se as duas únicas certezas que temos são morrer após nascer. Portanto, o vir ao mundo, e tudo que envolve este contexto faz parte da vida de todos nós.

Como parte da parceria do Catraquinha com o Unicef – Fundo das Nações Unidas para a Infância -  conversamos com Daphne Ratter , que é professora na Universidade de Brasília para falar sobre alguns benefícios poucos comentados do parto normal.

Créditos: Istock

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o Brasil está entre os países com maiores índices de realização de cesarianas.

“Desde a década de 80 já tem gente querendo fazer diferente na humanização do nascimento no Brasil”. A revelação é da presidente da ReHuna – Rede pela humanização do parto e nascimento - , a médica Daphne Ratter.  A ReHuna é uma organização fundada em 1993 para divulgar a assistência e cuidados perinatais com base em evidências científicas.

A mudança de paradigmas com relação ao nascimento de uns anos para cá foi tão brusca que hoje muitas mulheres agendam a cirurgia cesariana, durante o pré-natal, antes mesmo de entrar em trabalho de parto. A OMS Organização Mundial de Saúde) alerta que a cesárea eletiva (com agendamento prévio e sem indicação médica), eleva em 2,7 vezes os riscos de complicação para o bebê. Desde 1958 estabelece-se que apenas 15% dos partos devem ser operatórios.

Por isso, umas das frentes de trabalho da ReHuna é a defesa do exercício profissional humanizado. “Todos os profissionais que costumam ir contra a corrente acabam incomodando de certa forma os que fazem o que não deveria ser feito. A gente não tem poder nenhum, não somos judiciário, mas a gente tenta sempre negociar, conversar, para conseguir reverter algumas situações de perseguição”, diz Daphne.

Créditos: Istock

O parto humanizado é aquele em que os desejos das mulheres são respeitados.

Daphne comenta que os benefícios de se esperar pelo trabalho de parto espontâneo e passar por ele sem intervenções desnecessárias é vantajoso tanto para a mãe quanto para o bebê. “Muita gente acha que passar pelo canal de parto é um sofrimento. E não é. Muito pelo contrário, pode ser uma experiência muito vantajosa. A parteira alemã Angela Gehrke da Silva dizia que

‘a passagem pelo canal de parto é  o abraço 'mais apertado que qualquer pessoa vai receber pela vida inteira’ e já é o primeiro abraço dado pela mãe.

Esse “abraço” ajuda eliminar o líquidos dos pulmões do bebê, reduzindo os riscos da doença chamada de pulmão úmido.

Além de biológico, o parto um evento social e familiar. “Toda família engravida junto. Todo mundo fica meio grávido esperando a criança que vem”. A médica especialista em epidemiologia também defende que o parto é um evento “muito sexual e sensual” se ele puder ser vivido como tal. E explica: “é as mesma energia, os mesmos hormônios, a mesma amorosidade vivida. A prostaglandina, substância contida no esperma humano, tem mesmo princípio ativo das substâncias que aceleram o trabalho de parto. “Isso significa que fazer sexo perto da data provável de parto pode ajudar a iniciar o trabalho de parto”.

Há também as vantagens subjetivas relacionadas com o parto e nascimento humanizado, como uma experiência que o bebê levará por toda a vida.

“Se a primeira  impressão que o bebê tem do mundo é uma impressão de amorosidade, uma experiência positiva, ele fica marcado com isso. Vai ficar com a mensagem de que o mundo externo é um mundo amoroso. Já, se ele nasce num meio de violência, ele vai acionar a adrenalina. E a mensagem que ficará é a de que esse mundo é um mundo hostil , do qual  ele precisa se defender.

Créditos: Istock

Um atendimento humanizado é aquele em que o cuidado e a atenção são voltados exclusivamente à gestante e ao bebê, evitando intervenções desnecessárias.

À pedido do Catraquinha, os médicos Daphne e Ricardo Herbert Jones descreveram algumas vantagens do parto normal com assistência humanizada que são poucos conhecidas. Confira

  • Oferece a criança uma experiência completa de nascimento;
  • A mãe pode participar ativamente o nascimento do filho;
  • Garante a interação mãe e bebê imediata com possibilidade de contato pele a pele e amamentação;
  • A mãe não carrega nenhuma cicatriz nem no corpo e nem na alma;
  • A recuperação é muito mais rápida;
  • O risco de hemorragia e de infecção é muito menor;
  • Menor tempo de estadia no hospital liberando leitos, diminuindo custos financeiros e expondo o binômio mãe-bebê a menos riscos;
  • Uma experiência de parto menos dolorosa pois as contrações param depois do parto;
  • Um nascimento mais ecológico pois dispensa o aparato que polui o planeta;
  • Oferece a oportunidade de vivenciar um parto de vivenciar um parto com prazer;
  • É possível estabelecer um contato amoroso com o bebê nos primeiros minutos da sua existência;
  • A mulher se sente ativa no processo;
  • Aumenta as chances de o bebê não tomar mamadeira.

Por que devemos esperar pelo trabalho de parto espontâneo?

Quem espera, espera

 Catraquinha e Unicef estão juntos para falar sobre a importância da primeira infância para o desenvolvimento infantil. Neste canal, compartilharemos uma série de conteúdos com esse foco, começando por matérias relacionadas ao parto, no gancho da campanha "Quem espera, espera", lançada pelo Unicef com o objetivo de sensibilizar e conscientizar sobre a importância do nascimento acontecer após o trabalho de parto começar.
Veja também

Sífilis na gravidez: estamos diante de uma epidemia no Brasil

Estamos diante de um homicídio massivo de meninos pobres e negros

Crianças e educadores 'autores' potencializam o aprendizado

Mulheres atendidas por parteiras tem maior satisfação no parto

É preciso retomar o protagonismo da mulher no parto

Qualquer parto, normal ou cesárea, pode e deve ser humanizado